Notícias

Vaca louca: Brasil volta a exportar carne bovina para China

As vendas estavam suspensas desde o dia 3 de junho por causa da notificação de um caso atípico de EEB em Mato Grosso.

A China vai retomar as importações de carne bovina do Brasil que estavam suspensas desde o dia 3 de junho, por conta da notificação de caso atípico de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), detectado em Mato Grosso.

Em vídeo, na tarde desta quinta-feira(13), a Ministra Tereza Cristina confirma a retirada do embargo para exportações da carne bovina brasileira à China.

“Isso é um reconhecimento ao trabalho do Ministério Agricultura, do Itamarati, que trabalharam incessantemente, de maneira transparente, com governança, para que esse episódio pudesse ser encerrado o mais rapidamente possível”. Avalia Tereza Cristina

A China é o único país, entre os importadores do Brasil, que tem protocolo sanitário que exige a suspensão temporária das importações de carne quando detectado caso atípico de EEB. A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, recebeu a notícia da reabertura do mercado chinês nesta madrugada. A ministra reafirmou que vai continuar negociando um novo protocolo com as autoridades sanitárias chinesas.

A doença foi constatada em uma vaca de corte, com idade de 17 anos. Todo o material de risco específico para EEB foi removido do animal durante o abate de emergência e incinerado no próprio matadouro. Outros produtos derivados do animal foram identificados, localizados e apreendidos preventivamente, não havendo ingresso de nenhum produto na cadeia alimentar humana ou de ruminantes. Não havia, portanto, risco para a população.

Em entrevista ao portal AGRONEWS BRASIL, o presidente do INDEA-MT, Tadeu Mocelin já havia tranquilizado aos produtores quanto a liberação das exportações, tendo em vista que o controle sanitário do estado.

Sanitariamente, não há razões para o produtor ficar preocupado com uma possível queda de preços causada por este caso de encefalopatia. Não posso falar em questões de mercado, mas este caso não interfere em nada no comércio”, avalia Tadeu Mocelin.

Na ocasião ele informou que a OIE já havia dado por encerrado este caso e que não houve nenhuma alteração em nosso status, com isso não há motivos para que outros países deixem de importar carne brasileira.

“Quem faz o desbloqueio é próprio ministério. A China solicitou mais algumas informações, o que é de praxe, e deve liberar oficialmente a comercialização nos próximos dias, acredito que muito brevemente. É questão de as autoridades chinesas avaliarem as informações enviadas pelo Brasil”.

Abaixo você pode assistir um trecho da entrevista do presidente do INDEA-MT, Tadeu Mocelin concedida ao portal AGRONEWS BRASIL. (Veja a entrevista completa clicando aqui)

Segundo nota do Ministério da Agricultura, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) encerrou no último dia três, o pedido de informações complementares do Brasil sobre o caso, o que mostrou que não há risco sanitário. As exportações de carne bovina continuaram normalmente para os demais países.

Por: Vicente Delgado – AGRONEWS BRASIL, com informações do MAPA.

Etiquetas
Continuar lendo

Comente esta matéria

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar