O início do mês e as temperaturas mais baixas elevam, tipicamente, a demanda por carne suína

 

Esse cenário, no entanto, não tem sido observado, de acordo com pesquisadores do Cepea. Isso porque julho começa a avançar e os valores ainda não reagiram. Pelo contrário, os preços do animal vivo e da carne no atacado seguem em queda na maior parte das praças acompanhadas pelo Cepea e o ritmo de negócios, lento.

No geral, a expectativa do setor é de que a demanda se aqueça caso as temperaturas se mantenham baixas. Quanto às exportações totais da carne suína, ainda registram fraco desempenho, o que está atrelado principalmente ao embargo russo, que vem sendo mantido desde o final de 2017.

Fonte: Cepea

Veja também  Soja: Recua na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira e espera por definições

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: