O sorgo (Sorghum bicolor) é uma planta originária do continente africano, mais especificamente da região que compreende a Etiópia e o Sudão.

Por esta razão, é bastante resistente às condições climáticas adversas, calor, falta de água, etc. Se compararmos ao milho, suas necessidades de água são bem menores. Suas principais aplicações são na fabricação de farinhas e como alimentação animal, sendo bastante nutritiva. Muitas vezes, a farinha de sorgo é misturada à de milho e empregada na alimentação animal. Desta forma, a composição de nutrientes fica mais adequada ao consumo.

Com suas raízes profundas e abundantes, essa planta monocotiledônea é capaz de resistir a períodos de estiagem bastante prolongados, o que a torna uma ótima alternativa de cultivo em várias regiões do Brasil. Entretanto, ainda não é uma alternativa agrícola muito explorada no País, o que não deixa de ser um desperdício. Esta é uma cultura que já apresenta ótimos resultados no Nordeste e na região do cerrado brasileiro sendo que, nessas regiões, a produtividade alcançada é bastante animadora para os agricultores.

Existem algumas variedades de sorgo mas destacamos, por suas características únicas, o chamado sorgo sacarino, que é uma alternativa à cana-de-açúcar, para a produção de álcool, principalmente quando a produção de cana sofre algum tipo de contratempo. O colmo do sorgo é moído e produz um caldo que é a matéria-prima para a produção do álcool. Mesmo assim ainda são aproveitados os grãos, para a alimentação animal, o que torna essa variedade especialmente interessante nas regiões de cultivo de cana e onde são encontradas as destilarias, que podem produzir o álcool do sorgo durante períodos de ociosidade.

Uma grande vantagem no cultivo do sorgo é a mecanização utilizada. Neste ponto, o grande destaque se dá pelo fato da utilização do mesmo maquinário utilizado na cultura do milho e do trigo. Esta é uma grande vantagem, pois o plantio e a colheita podem ser feitos em períodos de ociosidade do maquinário agrícola, aumentando a produtividade dessas máquinas e, consequentemente, gerando maiores lucros.

O plantio do sorgo acontece sempre após as culturas de verão (milho, feijão, soja, etc.) e a colheita acontece nos meses de seca, durante o inverno. O período de semeadora varia de acordo com a região do País. No caso da região Sul, ele ocorre nos meses de novembro e dezembro. Já na região Nordeste, a semeadura é feita, normalmente, durante o mês de junho.

Antes do plantio, devemos proceder uma análise de solo, para que possamos definir as necessidades de adubação. Por ser, como já mencionamos, bastante resistente à falta d’água, a cultura do sorgo necessita, primordialmente, da disponibilidade desse elemento somente no período que vai do plantio até a brotação, que ocorre após duas ou três semanas.

O preparo do solo deve ser feito de maneira tradicional, com aração e gradeação do terreno. O plantio é feito em linhas, com espaçamento de 70 a 80cm, entre elas. Em geral, são cultivadas cerca de 15 plantas em cada metro das linhas. É aconselhável que se plante o sorgo após a cultura da soja, pois poderão ser aproveitadas as características de nutrientes encontradas no solo e, desta forma, a adubação pode até mesmo não ser necessária.

Veja as vantagens da cultura de Sorgo, pesquisa realizada pela EMBRAPA


A ArvorearFert | Nutrição Vegetal indica o cultivo do Sorgo BRS 332, conheça os benefícios.

Sua principal característica é Sanidade Foliar com alta produtividade e mais:

  • SorgoAlta produtividade e responsividade;
  • Excelente adaptabilidade;
  • Estabilidade de produção;
  • Boa tolerância a antracnose, helmintosporiose e míldio, com alta tolerância a cercosporiose;
  • Baixo consumo de sementes;
  • Adaptabilidade à safrinha;
  • Alta resposta ao investimento.

Cultivar de sorgo granífero do tipo híbrido, sem tanino, de grãos de cor vermelha, ciclo de 120 dias, altura de 1,23 m e resistente ao acamamento. É uma excelente opção para os produtores que buscam alto potencial de rendimento de grãos em híbridos adaptados a diferentes condições e sistemas de plantio. Possui teor de proteína superior a 10% nos grãos, produz palhada de boa qualidade, o que constitui um valor agregado importante para o sistema de plantio. Apresenta moderada resistência à antracnose, helmintosporiose, ferrugem e cercospora. Apresenta rendimento de grãos de 4,5 – 6,0 t/ha (sucessão).

Saiba mais em: www.arvorearfert.com.br ou faça uma cotação agora mesmo |65| 99625-5397 (Whatsapp)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: