Notícias

Seaf propõe diagnóstico socioeconômico da Agricultura Familiar em MT

Além de traçar o perfil socioeconômico do agricultor e a vocação agrícola da região, o questionário também avançará no georreferenciamento, e posterior regularização fundiária das propriedades.

A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf) está discutindo alternativas para diagnosticar o perfil socioeconômico dos agricultores de Mato Grosso. O mapeamento é inédito no Governo do Estado, e pretende utilizar um sistema muito próximo ao Regularização Ambiental e Diagnóstico dos Sistemas Agrários (Radis), desenvolvido pelo Escritório de Inovação Tecnológica (EIT), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), para projetos de regularização fundiária ligados ao Incra.

O diagnóstico deve contemplar inicialmente as famílias beneficiadas pelo Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). O Programa tem a finalidade de proporcionar ao agricultor familiar sem-terra ou com pouca terra, crédito em condições acessíveis para a compra de imóveis rurais e infraestrutura básica. Hoje, boa parte das famílias está impedida de acessar novos créditos rurais devido às irregularidades ocorridas na consolidação dos projetos de crédito fundiário. As irregularidades vão desde a inconsistência na ocupação das propriedades até a falta de orientação para quitação dos valores financiados.

As informações serão coletadas a partir de questionários aplicados por técnicos do EIT em visita às propriedades. Além de traçar o perfil socioeconômico do agricultor e levantar informações relativas à vocação agrícola e aos sistemas agrários locais e regionais, o questionário também reunirá dados que permitirão avançar no georreferenciamento, e posterior regularização ambiental e fundiária das propriedades.

Para que os pesquisadores tenham acesso aos beneficiários, o EIT realizará uma série de eventos mobilizadores com a participação dos agricultores familiares e da rede de apoio local, sobre a importância de receber os agentes para a coleta dos dados. O mapeamento ainda reunirá informações socioambientais, apontará ajustes na base de dados hidrográficos, de estradas, rodovias, vegetação nativa, parcelamento dos lotes, áreas de desmatamento, e ainda, as medidas necessárias para a recomposição de áreas eventualmente degradadas.

De modo geral, o diagnóstico permitirá a identificação dos modelos de exploração sustentável mais indicados para aqueles agricultores, segundo o arranjo produtivo local e regional onde estão inseridos. O sistema terá também papel primordial na elaboração de programas e projetos produtivos que sejam capazes de gerar renda e promover a manutenção do agricultor no campo.

“Nossa proposta é reunir o maior número de informações possíveis sobre o perfil dos nossos agricultores familiares, especialmente os beneficiários do PNCF, com a expectativa de propormos soluções viáveis para o avanço econômico das famílias, de acordo com seu perfil, e em consonância com a preservação ambiental. É um levantamento bastante completo que nos dará uma base segura para a tomada das melhores decisões de incentivo às produções. O questionário passará por alterações para que possa atender as necessidades da secretaria, mas assim que concluído se tornará uma base de dados muito rica. A iniciativa é audaciosa. O secretário Silvano Amaral está de parabéns pela decisão”, avaliou a Superintendente do Crédito Fundiário, Iracema Araújo Ramos.

Além da participação do secretário de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), Silvano Amaral, as discussões também contaram com a presença dos professores Olivan da Silva Rabelo, Luciane Durante e Ronilton Souza, ligados ao projeto Radis/UFMT; do secretário adjunto de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural da Seaf, Carlos Alberto de Arruda; e equipe técnica da Seaf, responsável pela execução do PNCF em Mato Grosso.

Por: Naiara Martins | Seaf-MT

Etiquetas
Continuar lendo

Comente esta matéria

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar