Geral

Sanidade suína é foco do 2º dia do Swine in Motion, workshop da Vetoquinol realizado no oeste paranaense

Cuidados com as matrizes, prevenção de infecções urinárias, doenças respiratórias e o uso consciente de antibióticos foram os temas do dia

A Vetoquinol, uma das 10 maiores indústrias de saúde animal do mundo, realizou no dia 04 de julho a segunda e última parte do Swine in Motion (SIM), workshop que reuniu agentes da cadeia suinocultura, incluindo produtores, influenciadores e formadores de opinião, além de universitários, para discutir questões de mercado e saúde animal.

O médico veterinário, doutor em reprodução animal pela Escola Superior de Veterinária de Hannover – Alemanha e professor da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Fernando Bartolozzo, tratou dos cuidados com as matrizes suínas e seus neonatos no momento do parto e quais os procedimentos operacionais que o produtor não pode abrir mão. Ele ressalta que os procedimentos são diferentes para a matriz e para os leitões.

Sanidade suína é foco do 2º dia do Swine in Motion, workshop da Vetoquinol realizado no oeste paranaense 1

Sua principal recomendação é a atenção redobrada com as fêmeas de partos mais longos e que tenham a possibilidade de futura interferência obstétrica, pois isso afeta as próximas leitegadas e influencia negativamente a produção de leite. Já para os leitões, o ponto chave é focar naqueles que estão com baixo peso, oferecendo ingestão de colostro e a manutenção adequada da temperatura corporal do animal.

Em seguida, o médico veterinário, professor e pesquisador com foco em sanidade suína da Universidade Federal do Paraná, Geraldo Camilo Alberton, palestrou sobre as infecções geniturinárias em suínos e os desafios e as oportunidades para o controle adequado destas enfermidades.

Segundo os dados apresentados, as infecções urinárias atingem 20% das porcas e são causadas por bactérias presentes na pele, nas fezes e no ambiente, o que coloca todas as granjas em risco. O resultado é o aumento das taxas de aborto, mastite, leitegadas pequenas, dificuldade de retorno ao cio e mortes de matrizes, gerando  prejuízo de até US$ 160 dólares por ano por animal. Segundo o professor Alberton, o produtor não pode se acomodar e resolver tudo com antibióticos na ração. Há outras medidas, como ingestão de água de boa qualidade e em boa quantidade e manter as baias e gaiolas limpas.

A palestra ministrada pelo mestre em reprodução de suínos e doutor em zootecnia, Roniê Pinheiro, abordou os principais aspectos sobre o uso de antibióticos na suinocultura. Ele fez uma alerta sobre o mal manejo dos antimicrobianos e defendeu a contratação e o treinamento de profissionais adequados para manter o ambiente nos padrões de biossegurança. Pinheiro criticou o uso descontrolado de antimicrobianos e defendeu que a melhor gestão dos medicamentos pode trazer economia e melhor bem-estar aos animais.

Por último, a mestre em ciências veterinárias pela Universidade Federal do Paraná, Anne Lara, ministrou palestra sobre doenças respiratórias em suínos. Ela explicou como se desenvolvem e quais são as causas de doenças como o vírus da Influenza e a Pasteurella, entre outros, além de enfatizar os graves prejuízos econômicos dessas enfermidades, o que compromete o sucesso da atividade.

Cerca de 90 pessoas compareceram no segundo dia do Swine in Motion. André Buzato, gerente técnico de suínos, comemora o resultado. “Reunimos quase 200 pessoas em dois dias de workshop em Toledo. Promovemos um ambiente de troca de conhecimentos muito útil para o dia a dia de cada um desses profissionais”, comemora.

Sanidade suína é foco do 2º dia do Swine in Motion, workshop da Vetoquinol realizado no oeste paranaense 2

Sobre a Vetoquinol – Entre as 10 maiores indústrias de saúde animal do mundo, com presença na União Europeia, Américas e região Ásia-Pacífico. Grupo independente, projeta, desenvolve e comercializa medicamentos veterinários e não medicinais, destinados à produção animal (bovinos e suínos), a animais de estimação (cães e gatos) e a equinos. Desde sua fundação, em 1933, a Vetoquinol combina inovação com diversificação geográfica. O crescimento do grupo é impulsionado pelo reforço do seu portfólio de produtos associado a aquisições em mercados de alto potencial de crescimento, como a Clarion Biociências, ocorrida nas últimas semanas. A Vetoquinol gera 2.132 empregos e está listada na Euronext Paris desde 2006 (símbolo: VETO).

Por: Rodolfo Vieira

Etiquetas
Continuar lendo

Comente esta matéria

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar