A Prata Agropecuária, junto com seus parceiros a Brangus do Sertão e a Brangus HP, comemoram 20 anos de realização do Leilão de Brangus & Braford, oferta tradicional da ExpoPrudente, que acontece de 01 a 14 de setembro, em Presidente Prudente (SP)

Em comemoração a este momento o criador Antonio Renato Prata, conhecido como Pratinha e referência também na criação de Nelore, Brahman e até do cavalo Quarto de Milha, preparou uma oferta especial de Brangus e Braford no dia 10 de setembro (Domingo), às 13 horas, no Recinto de Leilões Guilherme Coimbra Prata, dentro do parque de exposições. Serão leiloados 80 touros Brangus vindos um banco genético próprio, adaptados ao Brasil Central e em condições de pasto. Também serão leiloadas 40 fêmeas Brangus, muito reconhecidas por sua habilidade materna e precocidade.

Ainda haverá uma oferta exclusiva de 10 touros Braford, com animais de linhagens vindas do norte da Austrália totalmente adaptadas ao clima brasileiro. “Tanto os exemplares Brangus como os Braford são animais aptos a cobertura a campo, perfeitos para atender os produtores na entrada desta estação de monta, oferecendo genética e qualidade de carne nos cruzamentos”, explica Pratinha.

Junto com a Prata Agropecuária, neste leilão também estarão exemplares das suas parceiras a Brangus do Sertão, de Presidente Epitácio-SP, e a Brangus HP, de Martinópolis-SP, que seleciona a linhagem importada Brinks, com vários animais provados em sumários argentinos e norte-americanos.

Além dos convidados presentes no recinto, os produtores que desejarem adquirir essa genética poderão dar lance pela internet, porque haverá transmissão, ao vivo, pelo site LeiloSul (www.leilosul.com.br). Informações sobre os animais à venda, formas de pagamento e frete podem ser obtidas através do telefone (18) 3271.1529 da LeiloSul; (18) 3997.1257, da Brangus HP ou pelo (18)  3221.0599, da Prata Agropecuária.

Veja também  Manga: Oferta aumenta em todo o país e pressiona cotações

Saiba mais sobre a raça – Hoje o Brangus é a raça sintética que mais cresce no Brasil. Fruto do cruzamento do Angus com Zebu, as primeiras experiências deste cruzamento são datadas a partir de 1912, nos Estados Unidos, com objetivo de selecionar animais mais adaptados ao clima quente, tipicamente tropical. No Brasil, a raça chegou na década de 40 e logo ganhou espaço por apresentar bom desempenho em pasto e carne suculenta e macia, além de ter fêmeas precoces, com facilidade de parto e boa habilidade materna.

Por Agronews

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: