Mercado FinanceiroNotícias

Milho pode ganhar força na segunda safra no estado de Goiás

Dados divulgados no Boletim Agro em Dados apontam valorização do cereal no mercado internacional e na demanda doméstica. "Se levarmos em conta a dinâmica do mercado e os investimentos do Governo de Goiás, os produtores terão bons motivos para investir na produção do grão", avalia Antônio Carlos, titular da Seapa

Dados divulgados no Boletim Agro em Dados apontam valorização do cereal no mercado internacional e na demanda doméstica. “Se levarmos em conta a dinâmica do mercado e os investimentos do Governo de Goiás, os produtores terão bons motivos para investir na produção do grão”, avalia Antônio Carlos, titular da Seapa

A produção de grãos em Goiás começa a dar destaque para o milho a partir do cenário que se desenha na safra 2020/2021. De acordo com dados apurados no Boletim Agro em Dados, publicado pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), o milho aparece como uma boa opção ao produtor na 2ª safra. O grão segue valorizado tanto no mercado externo, quanto na demanda doméstica, o que tem contribuído para o investimento na cultura.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Até agora, a estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revela produção de 11,9 milhões de toneladas de milho, na safra 2020/2021, mantendo Goiás na 3ª posição entre os maiores produtores do grão. A área plantada deve chegar a 1,8 milhão de hectares e a produtividade esperada em 6,6 toneladas por hectare.

“Segundo a Conab, a semeadura do milho 1ª safra foi concluída em dezembro e, apesar da redução na produção e da área cultivada, em detrimento da soja, o prognóstico é de que o grão venha forte na 2ª safra, com expansão do cultivo”, aponta o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto. Conforme mostra o boletim, isso se dá tanto pelos preços atrativos no mercado internacional e doméstico e também no plantio da safrinha, que deve suceder a 1ª safra de soja, cuja área sofreu expansão.

Preço e exportação

Dados do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), mostrados no Agro em Dados, apontam que o preço médio semanal da saca de milho (60 quilos), em 25 de janeiro, operou próximo a R$ 72. Além disso, o cereal possui o terceiro maior crescimento do Valor Bruto de Produção (VBP) de 2020, com a estimativa de R$ 10,4 bilhões (aumento de 39,5%, em relação à safra anterior) e expectativa de crescimento para 2021.

Leilão online: Empresa em MT inova com transmissão ao vivo e interatividade

No ano passado, o Brasil embarcou 34,6 milhões de toneladas de milho, segundo dados do Ministério da Economia, sendo que, em Goiás, o cereal apareceu como terceiro produto do agro com maior participação no montante comercializado com outros países (10,3%), totalizando 653,1 milhões de dólares. Destaques para comercialização para Japão (21,4%), Vietnã (18%) e Taiwan (13,7%). Por outro lado, a demanda doméstica está aquecida, principalmente pela fabricação de rações destinadas à produção de proteína animal e de produtos para alimentação humana.

“Se levarmos em conta a dinâmica do mercado, os produtores terão bons motivos para investir na produção do milho”, avalia Antônio Carlos. “Além disso, do lado do Estado, o Governo de Goiás tem buscado dar condições dos produtores desenvolverem suas lavouras, do pequeno ao grande produtor”, explica.

Segundo o secretário, conforme orientação do governador Ronaldo Caiado, a Seapa e suas jurisdicionadas – Emater, Agrodefesa e Ceasa – têm buscado fortalecer o setor agropecuário e impulsionar a produção, em diversas vertentes. “Seja no apoio à agricultura familiar, que tem ajuda da Emater com os projetos de crédito rural e a assistência técnica; seja nos recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) viabilizados pela análise da Seapa; ou do trabalho da Agrodefesa pela sanidade e padrão de qualidade, que contribui no processo de comercialização e exportação; entre outros. São várias frentes de atuação que contribuem para a dinâmica de investimentos”, completa.

Outros dados

O Boletim Agro em Dados de fevereiro destaca, ainda, as principais produções agrícolas e pecuárias do Estado, incluindo bovinocultura, suinocultura, avicultura, leite, soja e, nesta edição, citros. Mostra também dados do trabalho desenvolvido pela Emater, Agrodefesa e Ceasa.

O boletim está disponível e pode ser acessado no link:
https://www.agricultura.go.gov.br/files/AgroemDados21/FEVEREIRO2021-AGROEMDADOS.pdf

Por Seapa-Goiás

AGRONEWS – Informação para quem produz

ABRALEITE
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo