Mercado em alta. Depois de dois meses de quedas semanais consecutivas, enfim, os preços da carne bovina sem osso voltaram a subir

Movimento semelhante já havia ocorrido para o boi casado, no começo de abril. Este produto, em função do menor tempo de prateleira frente aos cortes desossados, tende a ser mais sensível a variações de oferta e demanda.

Depois de um primeiro trimestre com abates que cresceram, pelo menos, 10% frente a 2017, o que gerou excedente de produção de carne e dificultou o escoamento, mesmo com perspectivas melhores de vendas, as indústrias ajustaram a produção.

Isso já começa a equilibrar o mercado. Os ajustes nos preços da carne indicam isso.

A perspectiva para o ano é que o consumo siga melhorando gradualmente e isso garanta suporte aos preços da carne e da arroba do boi gordo.

Fonte: Scot Consultoria

Veja também  Chineses compram R$ 1 bilhão em carne brasileira todo mês

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: