Notícias

Maggi assina parceria com o Chile na produção de orgânicos

Atualizado em

Está previsto que países vão atuar conjuntamente na fiscalização, melhorar bases de dados e regulamentos. Assinatura ocorreu durante reunião do CAS, em Buenos Aires

 

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, e o ministro de Agricultura do Chile, Antonio Walker Prieto, que participam nesta quinta-feira (20) de reunião do Conselho Agropecuário do Sul (CAS), em Buenos Aires, assinaram memorando de entendimento com o objetivo de promover ações para facilitar o comércio de produtos orgânicos entre os dois países.

O texto assinado prevê colaboração mútua na fiscalização e controle dos produtos e políticas voltadas para o desenvolvimento da produção orgânica, além da melhoria das bases de dados e de normas e regulamentos que regem a atividade.

Esse é o primeiro reconhecimento mútuo de semelhanças nos normativas de produção orgânica negociado entre países da América do Sul, demonstrando compromisso com o desenvolvimento de economias sustentáveis, de acordo com o secretário de Relações Intermacionais do Agronegócio do ministério, Odilson Ribeiro e Silva. A iniciativa, na sua avaliação, contribui para ampliar as exportações e agregar valor à produção agropecuária

Veja também:  MT é responsável por 15% do Valor Bruto da Pecuária brasileira

“Os impactos sociais da assinatura são relevantes para ambos os países. Atualmente, apenas grandes produtores orgânicos alcançam mercados no exterior, pelo alto custo envolvido na certificação internacional. Com o sistema de reconhecimento mútuo, ambas legislações reconhecem a certificação de sistemas participativos de garantia, estimulando a inclusão de pequenos e médios produtores no mercado de exportação”, explicou o secretário.

A reunião do CAs seguirá até hoje, sexta-feira (21), com a presença também dos demais ministros integrantes do conselho, da Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. No encontro deve ser discutido levantamento solicitado pelo ministro Maggi da lista de produtos químicos (moléculas autorizadas em cada país e condições de uso) com o objetivo de harmonizar a regulamentação desse tema em toda a região.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Comente esta matéria

Send this to a friend