O leilão de contratos de opção de venda futura para milho registrou demanda para 100% dos 7.400 contratos ofertados em Mato Grosso

Produtores que disputaram o direito de entregar sua produção à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), se o preço de mercado estiver abaixo do mínimo de garantia, pagaram prêmio de R$ 40,2075 por contrato de 27 toneladas, mesmo valor pedido na abertura.

Os contratos garantem aos produtores arrematantes a possibilidade de vender milho em grãos ao governo federal até 15 de setembro deste ano pelo preço de R$ 17,87 a saca de 60 kg.

O leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro) teve demanda para 73,7% da subvenção, ou 589,6 mil toneladas das 800 mil t ofertadas. O forte interesse pelo subsídio, equivalente à diferença entre o preço de mercado e o mínimo de garantia, resultou em deságio sobre o prêmio.

Na região 1, o Pepro saiu a R$ 2,46/saca ante R$ 3,36/saca. Já na região 2 saiu pelo preço de abertura, a R$ 3,03/saca. Na região 3, o Pepro também saiu pelo preço de abertura, R$ 2,37/saca, mas na região 4 saiu a R$ 1,98/saca, ante R$ 2,37/saca.

O leilão de Prêmio de Escoamento de Produto (PEP), para 330 mil toneladas do cereal mato-grossense, registrou demanda para 80,9% do total, ou 267 mil toneladas.

Foram adquiridos 37 mil contratos de opção, o que corresponde a 999 mil toneladas.

Em operações de Pepro já realizadas, a oferta de prêmio soma 2,5 milhões de t de milho, com negociação para venda e escoamento de 1,81 milhão de t do grão.

Já em PEP o apoio foi de 1,83 milhão de t de milho, com prêmio negociado para 689,6 mil t.

Veja também  Cebola: Maior oferta em São Paulo pressiona cotações

Fonte: Dinheiro Rural

Edição: Agronews

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: