A China, que estava sendo a maior compradora da carne mato-grossense, diminuiu, em junho, o volume de negócios em 61,9% “na arrecadação, no comparativo mensal”. O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) considera que é uma “particularidade no mínimo estranha” e que a redução das compras feitas pelos chineses gerou “apreensão ao mercado”.

A desvalorização do dólar frente ao real (que passa dos 20% de janeiro até agora) “afetou negativamente as exportações brasileiras” e as vendas de carne para o exterior estão tendo “variações negativas desde maio”. As vendas no mês passado foram 0,67% menores que em junho. “É o menor valor obtido desde 2013 em um mês de julho”. Os negócios foram de 71 milhões de dólares  (em 2015 havia sido 97 milhões Dólares) e no mês anterior 72 milhões de dólares.

Ainda não foi feita projeção de negócios para o mês de agosto.

Veja também  ILPF usando tecnologia de realidade aumentada é apresentada pela Embrapa

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.