A greve dos caminhoneiros, que se iniciou na segunda-feira, 21, tem causado fortes reflexos em todo o País, como o desabastecimento nos postos de combustíveis, dificuldades de acesso nas principais rodovias e, sobretudo, no escoamento de frutas e hortaliças nas regiões produtoras até os centros consumidores

 

Atacadistas da Ceagesp, o maior centro de distribuição de alimentos, relataram dificuldades em receber cargas de boa parte das frutas e hortaliças. Assim, receosos se os produtos chegariam ou não ao mercado, muitos produtores consultados pelo Cepea deixaram de colher até que a situação nas rodovias se normalize.

Há a possibilidade, ainda, de que a Ceagesp não abra nesta sexta-feira 25. Portanto, poucos foram os preços coletados pelo Hortifruti/Cepea até essa quinta-feira, 24.

Por Cepea

 

Veja também  Produção industrial no Brasil cai 10,9% com greve dos caminhoneiros, diz IBGE

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: