EmbrapaGeral

Governo, ciência e setor produtivo se reúnem para estimular a inovação na cadeia do biodiesel

O VII Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia e Inovação de Biodiesel começa nesta segunda-feira, 4 de novembro, em Florianópolis (SC).  Mais de 500 participantes estão inscritos no evento, que reúne, até o próximo dia 7, representantes do governo, cientistas, estudantes, produtores, empresários e startups na discussão de oportunidades e soluções para os principais problemas que envolvem o setor. O Congresso é uma realização do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Ao todo, 615 resumos técnicos-científicos foram submetidos em temas que incluem matérias-primas para produção; hidrocarbonetos renováveis e bioquerosene;  caracterização e controle de qualidade do produto; armazenamento, estabilidade e problemas associados; co-produtos e bioprodutos, além de políticas públicas e desenvolvimento sustentável. 

O ambiente e toda a programação do Congresso foram pensados de forma a estimular a inovação na cadeia do biodiesel. O “Grand Prix de Inovação em Biodiesel”, novidade organizada pelo Senai de Santa Catarina, por exemplo, conta com equipes multidisciplinares que trabalharão desafios da cadeia. O desenvolvimento de protótipos e projetos inovadores são esperados. A largada da “corrida” está marcada para as 14 horas deste primeiro dia do evento.

Também nesta segunda-feira, 4, será lançada a Agenda de Inovação da Cadeia Produtiva de Biodiesel, com palestra do presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).  

Uma rodada de inovação e negócios, promovida pela Embrapa Agroenergia (DF) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Micro Empresas (Sebrae), também com o objetivo de incentivar a inovação aberta, aproximando a pesquisa das empresas interessadas em formar parcerias, ocorrerá às 17h30 do dia 5 de novembro.

“Queremos sair do modelo tradicional da discussão de temas amplos e focar nos problemas e soluções para o desenvolvimento competitivo  e sustentável do setor de biodiesel no Brasil”, afirma Bruno Laviola, pesquisador da Embrapa à frente da organização do Congresso.

A produção de biodiesel insere-se no contexto da bioeconomia, modelo de produção industrial baseado no uso de recursos biológicos, área em franca expansão no Brasil e no mundo. Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD) apontam que o  setor movimenta no mercado mundial cerca de 2 trilhões de Euros e gera cerca de 22 milhões de empregos. O Brasil tem forte potencial para ser protagonista nesse campo, especialmente pela exploração sustentável e racional da sua megabiodiversidade.

 

Pesquisador da Embrapa Bruno Laviola fala sobre os impactos econômicos, ambientais e sociais provocados pelo biodiesel.

 

Continuar lendo

Comente esta matéria

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar