Planejamento, adoção de novos processos e proteção dos investimentos são fundamentais na pecuária.

A pecuária de corte e de leite vive um momento de transformação nos últimos anos no Brasil. A alta exigência dos consumidores internos e os rigorosos protocolos de segurança dos mercados importadores elevaram a cobrança pelos produtos brasileiros exigindo maior profissionalização por parte dos pecuaristas.

Este processo de profissionalização passa obrigatoriamente por um sistema de gestão altamente eficiente, que torna a fazenda de criação de gado uma verdadeira empresa, necessitando de uma correta administração de recursos financeiros, humanos, matéria-prima e normas. As práticas corretas de gestão de fazendas envolvem um profundo conhecimento do negócio, dentro e fora das porteiras. Além de precisar de um controle diário altamente cirúrgico de todos os procedimentos que envolvem a criação de gado, é primordial conhecimento em mercado, compra e venda de maquinários e equipamentos, investimentos em tecnologias e principalmente proteção desses investimentos todos.

Hoje existem no mercado ferramentas modernas de gestão que podem ajudar nessa tarefa, como softwares específicos para a administração de fazendas de gado. Com esse tipo de tecnologia, o pecuarista tem a possibilidade de ter na tela do computador todas as informações sobre sua propriedade. Mas, caso ele tenha dificuldades com essas ferramentas ou não encontre um bom administrador de fazenda, o recomendado é que procure empresas especializadas que fazem treinamentos e prestam consultoria em gestão para os gerentes da propriedade de forma terceirizada.

Denner Seguros

Os grandes pecuaristas sabem da importância de investir em animais com uma genética melhoradora que vai elevar o nível e a qualidade do seu rebanho. Além disso, há um alto investimento também com nutrição e sanidade para manter os animais bem nutridos e saudáveis. Mas o que o produtor se esquece é que a saúde financeira de sua propriedade e todo investimento realizado precisa de proteção. Assim como o seguro de veículos, casas e lavouras, o seguro para animais também já é uma realidade e necessidade no campo.

Veja também  Prorrogado prazo para envio de trabalhos à Reunião de Pesquisa de Soja

Embora menos de 1% do rebanho seja segurado, o Seguro Rural tem crescido e é um instrumento de estratégia de gestão de riscos, tão essencial tanto para a proteção da renda quanto para a manutenção da capacidade produtiva nas atividades agropecuárias. Algo que vai minimizar os riscos e dar ao produtor uma tranquilidade e garantia da perpetuidade da atividade que muitas vezes foi iniciado até por gerações anteriores.

Além do seguro bovino de corte e leite, tanto para animais de elite e rebanho, também há a proteção para equinos, muares e asininos. O produtor ao contratar o seguro de seu rebanho terá cobertura e será indenizado caso algum animal venha a óbito. Ao contrário do que muita gente imagina a contratação dessa modalidade não é cara diante do investimento que os produtores fazem nos animais. As taxas para calcular o valor das apólices variam conforme a raça, idade e a região onde está a propriedade. Ainda é importante destacar, que o seguro de rebanhos é isento da taxa do IOF (Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro).

Dicas rápidas

Não existe uma fórmula mágica e padrão aplicável a todas as propriedades rurais, o que vai diferenciar, no final das contas, uma fazenda da outra é o grau de profissionalização e nível de detalhamento da gestão. Independentemente do tamanho ou nível tecnológico, algumas boas práticas podem ajudar o produtor a ter uma gestão eficiente e uma fazenda de resultados.

1. Proteja sua atividade. Entenda sua fazenda/propriedade como uma empresa. Há diversos tipos de apólices de seguro que amparam perdas comuns como vendaval, roubo de equipamentos, danos elétricos e inclusive seguro de vida dos animais.

2. Tenha sempre domínio e controle financeiros e administrativos da propriedade;

Veja também  Bovino gigante extinto pode voltar a existir, saiba porque

3. Planejamento da produção seguindo as tendências do mercado;( será que caberia? Carne e leite, numa pequena propriedade, acompanhar mercado?)

4. Institua entre os funcionários hábitos de tarefas e um plano de trabalho;

5. Planejamento com a sucessão familiar;

6. Tenha todos os processos da fazenda em programas e softwares. Existem diversos tipos de aplicativos e planilhas para isso;

7. Tenha ferramentas eficientes de comunicação, como sites atualizados e redes sociais para se conectar diretamente aos clientes;

Por: Karen Matieli – Denner Seguros | Divisão de Pecuária

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: