Gestão familiar e diversidade de produção foram os temas da primeira visita técnica da turma de 2016 do projeto Futuros Produtores do Brasil. O grupo, formado por 32 jovens que iniciaram o projeto este ano, visitou no sábado (30/07) a fazenda Seron, localizada em Campo Verde-MT. A propriedade possui 2.500 hectares onde são cultivada soja na primeira safra e em segunda safra milho e algodão.  A propriedade conta também com uma estrutura de armazenagem de grãos, de confinamento de gado e de criação de suínos e ovinos.

Os anfitriões Gilberto e Diorginis Seron, tio e sobrinho, receberam os jovens e contaram a história da família que é paranaense e chegou a Mato Grosso no início na década de 1980. “Costumo dizer que já estamos na quarta geração de produtores rurais. Sou engenheiro agrônomo, cuido da propriedade que meu pai e meu tio são sócios e já trago o meu filho de quatro anos para que ele também se apaixone pela vida no campo e dê continuidade ao nosso trabalho”, contou Diorginis.

Segundo ele, quando se formou e voltou para ajudar o pai e o tio na propriedade houve algumas divergências. “No início o trabalho em família não foi tão fácil, houve um conflito de gerações. Eu, recém-formado, cheguei querendo fazer muitos investimentos, mudar muitas coisas na fazenda, mas eu não tinha a visão do todo, de quanto podíamos investir. Foi nessa hora que entrou a sabedoria do meu tio e do meu pai, conseguimos lidar com as diferenças e aliar a teoria à prática e a experiência com a inovação”.

“Gostei muito de ver a organização dessa propriedade, ver que tudo é bem planejado e executado. Também gostei de conhecer a história de sucessão familiar”, disse o participante do projeto Rafael Romanini que é de Barra do Bugres.

Veja também  Países importadores de ovos comerciais in natura no primeiro bimestre de 2019

Diorginis fez as honras da casa e apresentou a propriedade aos Futuros Produtos.  Os jovens conheceram o sistema de armazenagem da fazenda que conta com quatro silos. “Essa estrutura é muito importante. Além de economizarmos mais de 40% armazenando o nosso produto ainda aproveitamos o resíduo no nosso confinamento”.

Os jovens também tiveram a oportunidade de conhecer toda a estrutura física da propriedade, o confinamento, a criação de suínos e ovinos além acompanhar o trabalho na lavoura de algodão.  “Semeamos algodão em aproximadamente 1200 hectares. Este talhão que estamos colhendo teve uma boa produtividade”.

A estrutura de armazenagem da fazenda Seron foi um dos pontos da visita técnica que mais chamou a atenção do participante Rafael Martini Dalla Nora. O jovem de 20 anos é de Paranatinga-MT,  está  no 8º semestre de agronomia e já ajuda o pai na propriedade da família.  “Gostei de saber como é feita a secagem dos grãos e de ver o custo benefício de ter a estrutura dentro da propriedade. Também achei bem interessante poder acompanhar a colheita do algodão, poder ver a prensagem e aprender um pouco mais sobre o algodão, pois é uma cultura que não é muito comum na minha região”, destacou o jovem.

O projeto Futuros Produtores do Brasil foi criado em 2013 pela Famato e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e conta com o apoio dos Sindicatos Rurais de Mato Grosso. Entre as finalidades está fazer com que os jovens, filhos de produtores rurais, conheçam exemplos de propriedades bem-sucedidas e consideradas referência na produção agropecuária de Mato Grosso. Além disso, visa mostrar as oportunidades que o agronegócio oferecesse para o futuro profissional e também a importância da sucessão familiar.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.