A cooperativa Frimesa, quarta maior produtora de carne suína do país, anunciou uma nova política de bem-estar animal, na qual se compromete a eliminar o uso de gaiolas de gestação para porcas reprodutoras até 2026. As informações são da ONG Fórum Animal

As gaiolas de gestação foram proibidas pelos países-membros da União Europeia, Nova Zelândia, Suíça, Noruega e diversos estados norte-americanos. Associações de produtores de suínos da África do Sul e Austrália também já se comprometeram a abandoná-las, informou a organização.

Os três maiores produtores brasileiros – BRF, JBS e Aurora – já se comprometeram com a eliminação de gaiolas de gestação, reforçou a entidade. No setor de fast food, o McDonald’s e o Burguer King também anunciaram no ano passado que não utilizarão mais carne suína originada de granjas que alojem as porcas gestantes em gaiolas em toda a América Latina.

“Práticas sustentáveis têm sido priorizadas pelo setor corporativo, e o tema de bem-estar animal ganha grande destaque entre elas. O consumidor está gradativamente se tornando mais consciente sobre a origem de seus alimentos e, consequentemente, apoiando campanhas para a eliminação de sistemas de confinamento. Vamos trabalhar com outras grandes empresas em políticas similares”, disse Dra. Patrycia Sato, coordenadora de bem-estar animal da ONG Fórum Animal, a maior rede da causa na América Latina.

Veja também  Sobe intenção de confinamento em MT

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: