Em março passado, para uma inflação (IGP-DI) de pouco mais de meio por cento, o ovo obteve ajuste próximo de 11% e o milho de mais de 21%. Ou seja: só o frango vivo apresentou (outra) queda de preço, neste caso, de 4,35%

Porém, variações bem mais significativas são detectadas na comparação com os preços vigentes um ano atrás, em março de 2017. E o que mais chama a atenção é o fato de, então, frango, ovo e milho apresentarem, aproximadamente, a mesma paridade de preços registrada por ocasião da implantação do atual padrão monetário brasileiro, o real, em meados de 1994.

Um ano depois, março de 2018, a posição dos três produtos é absolutamente diferente. Quer dizer: frango e ovo seguem com paridade quase idêntica, mas registrando uma redução de preço superior a 10%. Já o milho registra alta de quase 25%.

Feitas as contas, constata-se que há um ano o frango vivo (produto com maior perda de preço no período) apresentava uma evolução de preço apenas 20 pontos percentuais menor que a do milho (incrementos de, respectivamente, 448% e 468%). Agora essa diferença supera os 190 pontos percentuais, pois, frente a um preço 393% maior do frango, o milho registra expansão de 584%.

Fonte: Avisite

Veja também  Temporada 2016 de combate às doenças do milho começa pelo Mato Grosso e Goiás

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: