Os dados consolidados da SECEX/MDIC relativos aos quatro itens de carne de frango exportados no primeiro quadrimestre de 2018 apontam que a queda na receita cambial registrada no período vem sendo determinada, principalmente, pelo frango inteiro

No global, a receita desses quatro meses retrocedeu 12%, alcançando pouco mais de US$2,058 bilhões – para o período, o pior resultado da presente década, ou seja, dos últimos oito anos.

É verdade, neste caso, que a carne salgada e os industrializados apresentaram, em valores relativos, quedas bastante expressivas, de 37,75% e 30%. Mas seu efeito na receita total é menor que o do frango inteiro, cuja receita recuou 22,65%.

Tal índice (quase US$145 milhões a menos) correspondeu a 51% dos 12% de queda na receita total. E embora percentualmente menor (apenas 3,51% de redução), a queda com os cortes de frango foi responsável por 18% da redução de receita registrada. Já industrializados e carne salgada responderam, cada um, por cerca de 15% das perdas do quadrimestre.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: