Mesmo que em junho tenha registrado desempenho melhor que o do mês anterior, a carne de frango não obteve no mês receita cambial suficiente para recuperar o quinto posto, perdido para o automóvel no acumulado entre janeiro e maio

 

Ou seja: a despeito de uma receita 7,31% maior, encerrou o primeiro semestre na sexta posição, uma abaixo da alcançada em idêntico período do ano passado.

E como todos os cinco produtos que antecederam a carne de frango na pauta (além do automóvel, a soja em grão, o minério de ferro, o petróleo em bruto e o açúcar em bruto) obtiveram, no semestre, expansão de receita em índices bem superiores, a participação do frango na pauta cambial recuou 10% em relação ao mesmo semestre de 2016, correspondendo agora a 2,94% das divisas captadas pelo Brasil com as exportações.

Notar, de toda forma, que a participação da carne de frango se encontra quase um ponto percentual à frente da carne bovina, cuja participação na pauta cambial recuou quase 18% no primeiro semestre de 2017.

 

Fonte: Avisite

Veja também  Boi Gordo: Mercado segue firme segundo Scot Consultoria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: