Considerada, de um lado, a produção de carne de frango registrada regionalmente em 2017 (segundo dados do IBGE relativos aos abates sob inspeção federal, estadual ou municipal) e, de outro lado, as exportações de carne de frango do exercício passado (conforme levantamentos mensais da SECEX/MDIC), constata-se que a disponibilidade interna propiciada pelo Centro-Sul do País correspondeu a 91,65% do total

 

Ou seja, juntos, os estados do Norte e Nordeste responderam por apenas 8,35% do volume de carne de frango disponibilizado internamente em 2017.

Porém, contrapondo-se tais volumes à população estimada para as cinco Regiões brasileiras, conclui-se que, além de Norte e Nordeste, também o Sudeste é “importador” interno de carne de frango.

Ou seja: aceita a disponibilidade média nacional ligeiramente superior a 45 kg per capita, os 16 estados das Regiões Norte e Nordeste contam com menos de um quarto (23,06%) do per capita nacional. E o Sudeste, com cerca de 60% da média nacional.

Em outras palavras, as três Regiões dependem do Sul e do Centro-Oeste, cujas disponibilidades per capita superam a média nacional em, respectivamente, 357% e 204%.

A ressaltar, nesta análise, que ela apenas aborda a relação entre a disponibilidade total regional e respectivas populações, não o consumo per capita que, reconhecidamente, enfrenta grandes variações conforme o Estado ou Região e a situação econômica das populações locais.

Fonte: Avisite

Veja também  Soja: Mercado inicia 5ª feira perto da estabilidade na CBOT

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: