Acompanhe este resumo com as principais informações do mercado financeiro neste início de semana:

1. Inflação em foco com proximidade de aumento de juros do Fed

O Departamento de Comércio publicará os números da inflação em fevereiro às 09h30 desta terça-feira; estes dados serão um ingrediente chave para o Federal Reserve contemplar antes de sua reunião de política monetária em 20 e 21 de março.

Analistas de mercado esperam que os preços ao consumidor tenham subido 0,2%, desacelerando a partir do aumento de 0,5% em janeiro, ao passo que o núcleo da inflação tem projeção de aumento de 0,2%, um pouco menos do que no mês anterior quando os preços ao consumidor subiram 0,3%.

Em base anual, o núcleo do IPC tem projeção de aumento de 1,8%, inalterado a partir do mês anterior. O núcleo dos preços é visto pelo Federal Reserve como uma melhor aferição da pressão inflacionária de longo prazo porque exclui as categorias voláteis de alimentação e energia. O banco central tenta normalmente chegar a 2% no núcleo da inflação ou menos.

A inflação em alta pode ter efeito catalisador para o Fed elevar as taxas de juros em um ritmo mais acelerado do que atualmente se espera.

Os mercados esperam amplamente que o Fed eleve as taxas de juros em 25 pontos base para 1,50% a 1,75% na reunião de março, com as apostas de três aumentos em 2018 em cerca de 74%, de acordo com o Monitor da Taxa da Reserva Federal do Investing.com.

2. Bolsas globais otimistas antes do IPC

Após o Dow e o S&P 500 não terem conseguido acompanhar o exemplo do Nasdaq Composite, já que o índice de tecnologia atingiu máxima histórica no dia anterior, o mercado futuro dos EUA apontava para uma abertura em alta em Wall Street nesta terça-feira enquanto investidores aguardam dados da inflação. Às 06h58, o blue chip futuros do Dow ganhava 56 pontos, ou 0,22%, os futuros do S&P 500 subiam 5 pontos, ou 0,19%, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100 tinha alta de 5 pontos ou 0,07%.

Veja também  Frango: Embarques de junho aumentam 7,68%

Do outro lado do Atlântico, bolsas europeias estava em alta em meio à percepção otimista de forma geral. O índice de referência Euro Stoxx 50 avançava 0,7% às 06h59, o DAX da Alemanha subia 0,8% e o FTSE 100 de Londres estava em alta de 0,2%.

Mais cedo, bolsas asiáticas fecharam com sinais desiguais em uma sessão agitada nesta terça-feira, já que o desempenho desigual das bolsas norte-americanas reduziu o apetite ao risco dos investidores.

3. Trump impede aquisição da Qualcomm pela Broadcom

Donald Trump, presidente norte-americano, proibiu a proposta da fabricante de microchips Broadcom (NASDAQ:AVGO) de aquisição da Qualcomm (NASDAQ:QCOM) devido a questões de segurança nacional, encerrando o que teria sido o maior acordo já feito no setor de tecnologia em meio a preocupações de que daria uma vantagem à China em comunicações móveis.

Ações da Qualcomm caíam quase 5% antes do pregão desta terça-feira, ao passo que a Intel (NASDAQ:INTC) Intel subia 0,8%. Há rumores de que a constituinte do Dow estaria considerando uma oferta defensiva alternativa uma vez que a conexão Broadcomm-Qualcomm elevaria a concorrência.

4. Trump pode escolher Kudlow como assessor; eleição especial na Pensilvânia em pauta

Larry Kudlow seria o principal candidato ao cargo de diretor do Conselho Nacional Econômico do presidente Donald Trump e aceitaria o emprego se lhe fosse oferecido, de acordo com informações da CNBC.

Kudlow parece ser o líder na disputa para substituir Gary Cohn por ser favorito tanto de Trump como de vários de seus conselheiros. A escolha é notável porque Kudlow era abertamente contra a implementação de tarifas de importação sobre o aço e o alumínio que teriam sido o motivo da demissão de Cohn.

Veja também  Boi Gordo: Negócios ficaram mais lentos no mercado

Investidores também estão muito atentos às eleições especiais na Pensilvânia, que começaram nesta terça-feira. Rick Saccone, candidato republicano apoiado por Trump, enfrentará o democrata Conor Lamb na disputa para substituir Tim (SA:TIMP3) Murphy, do partido republicano, após ele ter saído em outubro.

Embora espera-se amplamente que Saccone ocupe o assento na Câmara no estado do aço, a margem de sua vitória está sendo observada de perto para tomar o pulso do público norte-americano com a proximidade de eleições. Uma grande participação dos democratas poderia aquecer a administração Trump antes de várias eleições que poderiam ameaçar a maioria republicana na Câmara.

5. Japão deverá propor regulamentações de criptomoedas ao G20

Em uma reunião na próxima semana, o Japão irá solicitar que seus companheiros do G20 reforcem esforços para impedir que criptomoedas sejam usadas para lavagem de dinheiro, de acordo com informações da Reuters que citavam um funcionário do governo com conhecimento direto do assunto.

Criptomoedas também estavam sob pressão nesta terça-feira pois o Banco de Pagamentos Internacionais (BIS, na sigla em inglês), com sede na Suíça, afirmou que moedas digitais permanecem muito arriscadas para serem utilizadas como moeda corrente no curto prazo.

Às 06h59, o bitcoin, maior moeda virtual do mundo em termos de capitalização de mercado recuava cerca de 4,4% para US$ 9.259,30.

Outras importantes criptomoedas estavam em baixa, com o ethereum, segunda maior criptomoeda em termos de capitalização de mercado, recuando cerca de 4% para US$ 703,98.

O ripple, terceira maior criptomoeda, tinha perdas em torno de 5% e era negociado a US$ 0,78384.

Fonte: Investing

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: