Um conjunto de fatores, como a alta do dólar em relação ao real, a boa demanda para exportação, a situação de quebra de produção na Argentina e a briga comercial entre Estados Unidos e China dão sustentação aos preços da soja grão e do farelo no mercado brasileiro

 

No caso do grão, o preço saltou de R$80,00 por saca (60kg) em Paranaguá-PR no final de março para os atuais R$86,00 por saca, com negócios pontuais em até R$87,00 nesta semana.

Com relação ao farelo de soja, segundo levantamento da Scot Consultoria, o preço médio nesta primeira quinzena de abril está em R$1.353,02 por tonelada em São Paulo, sem o frete.

O mercado está firme na comparação mensal. Em relação a abril do ano passado, o farelo de soja está custando 22,7% a mais este ano.

Para os próximos meses, os fatores citados deverão continuar ditando o rumo do mercado, principalmente as questões relacionadas a demanda mundial e ao câmbio.

Além disso, a entressafra nos Estados Unidos, que em breve dará início a semeadura da safra 2018/2019, é um fator de sustentação das cotações no mercado internacional. Desta forma, o monitoramento do clima por lá passa a ter papel fundamental.

A expectativa é de preços sustentados nos próximos meses e patamares maiores que os verificados em igual período do ano passado.

Fonte: Scot Consultoria

Veja também  Seguro rural terá novas diretrizes no triênio 2016 a 2018

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: