O presidente da Comissão de Pecuária da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (FAMATO), Neto Gouveia, e o analista de Pecuária da entidade, Marcos Coelho participaram esta semana da reunião da Comissão Nacional de Bovinocultura de Corte da Confederação da Pecuária e da Agricultura do Brasil (CNA). O encontro, que foi o último do ano, foi realizado na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de São Paulo (Faesp) e reuniu representantes de diversos estados brasileiros para tratar temas importantes da cadeia produtiva da carne.

A retirada da vacinação contra a febre a aftosa foi um dos assuntos amplamente discutidos durante a reunião. Neto Gouveia destaca que alguns estados brasileiros, como é o caso de Santa Catarina, desejam ser reconhecidos, em curto prazo, como zona livre da doença sem vacinação. “Nós vemos essa questão com bastante tranquilidade. Ainda não há um consenso, por isso o assunto precisa estar na pauta de discussão nacional”.

Mato Grosso também pleiteia esse status, entretanto para um futuro um pouco mais distante. “Nós federação, produtores rurais de Mato Grosso vemos isso com muita calma. Pela dimensão territorial do estado e pelo tamanho do nosso rebanho, acreditamos que é preciso criar metas e esperar alguns anos até retirarmos a vacinação”, explica Gouveia.

A criação de um sistema de classificação de carcaça de bovinos também foi levantada na reunião. “A gente busca essa tipificação há vários anos e agora contamos com a parceria da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) para juntos encontramos uma fórmula que atenda os dois elos da cadeia”, conta o presidente da Comissão de Pecuária da Famato.

A ampliação do mercado de sêmen, embriões e tourinhos para reprodução também foi tratada durante o encontro, assim como o apoio da CNA ao projeto “Carne: Carbono Neutro” da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Os participantes ainda tiveram a oportunidade de assistir uma palestra do pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, Sérgio de Zen.

Deixe uma resposta