De julho a setembro, soja dos EUA respondeu por 52% das importações da União Europeia, alta de 133% ante o mesmo período de 2017

 

Os Estados Unidos ultrapassaram o Brasil como principal fornecedor de soja da União Europeia desde um acordo comercial em julho com o presidente norte-americano Donald Trump para evitar uma guerra comercial, segundo dados da UE vistos pela Reuters nesta quinta-feira (20).

Em 12 semanas de julho até o meio de setembro, a soja dos EUA respondeu por 52% das importações da UE, subindo 133% ante o mesmo período do ano anterior, para 1,47 milhão de toneladas. Os EUA tinham apenas 25% do mercado no mesmo período de 2017.

Já as importações da UE junto ao Brasil caíram para uma fatia de 40% das quase 35 milhões de toneladas anuais em importações do bloco, utilizadas para alimentação animal.

O acordo

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, prometeu em um acordo com a Casa Branca no final de julho que os europeus iriam comprar mais soja dos EUA como parte de um pacote de medidas para evitar tarifas de Washington sobre importações de carros norte-americanos pela UE após ameaças.

O braço executivo da UE tem reunido novos dados de importação frequentes para provar que está mantendo sua parte do acordo – mesmo que as tendências sejam em grande parte resultado dos movimentos de preços nos mercados mundiais. A UE não tinha barreiras anteriores à soja norte-americana.

Em junho, a China em grande parte parou de comprar soja dos EUA em retaliação a medidas comerciais de Trump contra Pequim, possibilitando a produtores europeus mudar para compras de soja mais barata dos EUA.

Veja também  Soja se encontra com negócios limitados devido diferença entre preços pedidos e ofertados

Entenda a escalada da guerra comercial no mundo. — Foto: Juliane Almeida/G1

Fonte: G1

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: