O Instituto Mato-grossense de Economia Agrária (Imea) realizou, pela sexta vez consecutiva, sua perspectiva de curto prazo para o estoque de machos acima de 24 meses em Mato Grosso. E os valores vislumbrados para 2017 não são tão surpreendentes, com a retenção de fêmeas derivada do ciclo pecuário atingindo seu ponto máximo durante os anos de 2015 e 2016, a disponibilidade de animais machos deve continuar a crescer nos próximos anos.

Já para o próximo ano, o Imea aponta que “espera-se aumento de 1,2% no volume de machos acima de 24 meses disponíveis no mercado, chegando a 4,01 milhões de animais, valor aquém do estimado em 2015 para esse mesmo período, quando o montante esperado era de 4,25 milhões de animais.

Tal “correção” deve-se, principalmente, ao abate demachos no primeiro semestre de 2016, que foi 11,73% maior no comparativo anual. Diante disso, já se vislumbra a oferta de machos dando sinais de sua “volta”, e o bovinocultor de corte deve ficar atento a isto”.

Veja também  Governo proíbe acúmulo de subsídios em energia e abre exceção para agronegócio

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.