Otimizar a utilização da terra para produzir mais alimentos, energia e fibras com alta produtividade sem crescer área tem sido a grande missão dos agricultores brasileiros nas últimas safras.

Porém, a mesma agricultura moderna que busca altas produtividades, com plantas melhoradas geneticamente, as vezes não atinge o resultado esperado. Isso porque o produtor tem aplicado toda esta tecnologia sobre solos intemperizados, ou seja, com grande dependência de doses maciças de adubações com fertilizantes nitrogenados, fosfatados e potássicos para atingir seus resultados.

Solos tropicais são, de forma geral, originalmente deficientes em N, P e K e com grande capacidade de perdas e imobilização desses nutrientes, em função dos processos de volatilização, adsorção e lixiviação. Por essas razões são normalmente utilizadas doses altas desses fertilizantes, acima das necessidades das plantas, para compensar a perda esperada que ocorre nos sistemas de produção.

Diversos fatores interferem na eficiência agronômica do uso dos fertilizantes pelas plantas cultivadas, e podem estar relacionados ao solo, à cultura, ao manejo adotado, ao ambiente e ao fertilizante usado. Algumas ações podem ser realizadas para aumentar essa eficiência, entre elas, o manejo adotado e preconizado pelo International Plant Nutrition Institute (IPNI-Brasil) como as reduções das perdas de terra arável, o desenvolvimento e uso de materiais genéticos mais eficientes em utilizar o N, P e K, o uso de adubação mais equilibrada com os outros nutrientes, a aplicação de fertilizantes na época, dose e localização corretos, o manejo adequado da palhada e matéria orgânica do solo, o manejo adequado de solo para garantir bom pH, aeração, teor de Ca e baixo teor de elementos tóxicos, o controle da salinidade no solo e outros fatores impeditivos para crescimento radicular, e o uso de fontes mais eficientes.

Pesquisador

Pesquisador da Kimberlit, Juscelio Ramos de Souza

Cada uma dessas possibilidades pode individualmente ter uma contribuição limitada, aquém do necessário para aumentar satisfatoriamente a eficiência geral dos fertilizantes, mas a combinação de várias delas pode trazer ganhos significativos e impactantes em larga escala. Nesse sentido, a Kimberlit Agrociências, empresa de quase três décadas no setor de fertilizantes, nutrição e fisiologia de plantas, vem atuando de forma decisiva no desenvolvimento de tecnologias que potencializam a eficiência de uso. O Kimcoat é uma dessas alternativas, composto por aditivos e substâncias específicas utilizadas no recobrimento dos grânulos de fertilizante nitrogenado (ureia); fosfatados (MAP, TSP e SSP) e potássico (KCL). Nos últimos dez anos, a Kimberlit Agrociências desenvolveu trabalhos e parcerias com produtores, consultorias e instituições de pesquisas que contribuíram para a difusão desses conceitos e resultados da tecnologia Kimcoat em fertilizantes. Ao se reduzir as perdas de nutrientes, outro ganho de alto valor para o uso dessas tecnologias é o de reduzir o risco de impactos ambientais que podem ocorrer com uso de doses elevadas de fertilizantes.

Veja também  Quanto a soja necessita de cada nutriente para produzir uma tonelada de grãos?

A tecnologia Kimcoat nos seus 10 anos de desenvolvimento, oferece para os produtores uma tecnologia que não implica em: impactos negativos na fertilidade do solo; não liberar no solo substâncias com potencial poluidor após sua degradação; não ser tóxico às plantas e animais; ser estável em todo o processo de produção; não afetar negativamente as características físicas dos fertilizantes; ser compatível com todas as matérias primas existentes no mercado e suas eventuais misturas e ter custo compatível com o valor do benefício entregue para o consumidor.

Por: Juscelio Ramos de Souza – Pesquisador da Kimberlit Agrociências

Uma Resposta

  1. Andre Luiz Oliveira Cirqueira

    Sem sobra de dúvidas essa tecnologia Kimcoat tem muito a contribuir ao desenvolvimento da agricultura nos trópicos, em especial no Brasil, é imprescindível que o nosso produtor conheça mais sobre o manejo dos solos e em especial o uso adequado dos fertilizantes, parabéns Kimberlit, parabéns ao pesquisador Juscélio Ramos de Souza pelo sucesso do trabalho!

    Responder

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: