Os primeiros resultados divulgados são, para dizer o mínimo, excitantes: na receita cambial, perspectiva de incremento de 56% no mês e de quase 20% em um ano

No volume, em relação a fevereiro de 2018, sinalização de aumentos de 50% para a carne suína, de 45% para a carne bovina e de quase 28% para a carne de frango.

Cuidado, porém. Os números da própria SECEX/MDIC relativos à receita cambial sugerem que o resultado alcançado na primeira semana do mês (apenas um dia útil) traz, embutido, o saldo de exportações não contabilizadas do mês anterior, janeiro de 2019. Assim, o lógico a esta altura é considerar como mais apropriados os números da segunda semana de fevereiro (3 a 9, cinco dias úteis).

Neste caso, porém, só é possível projetar a receita do mês, porquanto no tocante ao volume a SECEX/MDIC não individualizou os embarques de carnes do primeiro dia útil de fevereiro, divulgando apenas o total embarcado em seis dias úteis.

Mesmo assim já se pode concluir que os volumes ora projetados para os 20 dias úteis do mês sofrerão forte diluição no decorrer do período.

Desempenho externo das carnes no 1º decêndio de fevereiro 2

Por Avisite

Veja também  Na exportação, carne de frango in natura alcança o melhor preço em 16 meses

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.