Nas regiões Norte e Noroeste o plantio deverá ser entre 15 de dezembro e 28 de fevereiro.

O custo de produção do algodão em Mato Grosso decolou 33,9% entre as safras 2014/2015 e 2016/2017 e atinge a média de R$ 8.927,70 por hectare. As despesas com os insumos, motivado pela alta do dólar, é o principal “peso” no custo de produção. A semeadura da cultura teve início na quinta-feira, 1º de dezembro, nas regiões Sul e Vale do Araguaia em Mato Grosso.

O vazio sanitário do algodão em Mato Grosso encerrou no último dia 30 de novembro para as regiões Sul e do Vale do Araguaia. A semeadura nestas localidades deverá ocorrer até o dia 28 de fevereiro. Já nas regiões Norte e Noroeste o plantio deverá ser entre 15 de dezembro e 28 de fevereiro.
A perspectiva, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), é de clima favorável de dezembro a fevereiro. O Instituto salientou ainda em seu boletim semanal que o adiantada semeadura da soja pode também “propiciar uma janela de semeadura e um período inicial de crescimento da cultura próspero para o desenvolvimento desta safra”.

Conforme o levantamento do Imea, o custo total de produção por hectare saltou de R$ 6.716,51 na safra 2014/2015 para R$ 8.927,70 no atual ciclo. Na safra 2015/2016 o custo médio havia sido de R$ 8.104,02. Somente as despesas com insumos (sementes, fertilizantes e defensivos) o salto foi de R$ 4.068,47 para R$ 5.636,25 em média. No ciclo 2015/2016 havia ficado em R$ 5.308,70.

Segundo o diretor-executivo da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Décio Tocantins, Mato Grosso tem a possibilidade de plantar toda a safra na janela correta, o que para a cotonicultura é “bom”. “Isso é muito bom porque sinaliza que teremos o algodão na data correta e também é bom tecnicamente, pois propicia uma grande produção. As chuvas que estamos vendo está ideal por ter permitido o andamento do plantio da soja na janela correta, o que nos permitirá plantar o algodão na janela correta”.

Veja também  Missão Compradores 2017 – Profissionalismo da cadeia produtiva do algodão impressiona visitantes na expedição promovida pela Abrapa

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: