O documento “Plano de Estado – Brasil 2030”, que inclui propostas do setor agropecuário para a próxima década, foi discutido em Brasília, no dia 14 de junho, pelas entidades que integram o Conselho do Agro.

O trabalho é dividido em seis eixos (Fundamentos, Mercado, Inovação, Sustentabilidade, Governança e Imagem). A partir destes tópicos, são abordados pontos como segurança jurídica, competitividade internacional, infraestrutura e logística, inovação tecnológica, entre outros.

Antes da finalização do documento, as entidades setoriais terão um prazo de dez dias para encaminhar sugestões.
“Os coordenadores tiveram a chance de realinhar os temas propostos, culminando com um estudo inédito para o agro brasileiro”, explica o coordenador-geral do projeto, o ex-ministro Roberto Rodrigues.

CNA

Coordenador-geral do projeto de propostas para o agro, o ex-ministro Roberto Rodrigues afirmou que o documento inclui “ofertas para o povo brasileiro e para o Brasil ser o campeão mundial em segurança alimentar”. Foto: Wenderson Araujo.

O objetivo é que o plano seja entregue aos candidatos à Presidência da República. No entanto, a pauta do setor é para o longo prazo, o que deverá envolver outros governos.

“É um conjunto de propostas que não são pedidos. São ofertas para o povo brasileiro e para o Brasil ser o campeão mundial em segurança alimentar”, completa Rodrigues.

A sessão que analisou a versão inicial do documento foi realizada na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), e coordenada pelo presidente da instituição, João Martins.

Também estiveram presentes, além das entidades que integram o Conselho – entre elas a Sociedade Nacional de Agricultura (SNA) – especialistas que atuam na elaboração das propostas do plano.

Por Equipe SNA/Rio, com informações da CNA

Veja também  Por empoderamento feminino, John Deere incentiva a mulher no agronegócio

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: