Especialistas

Vacas leiteiras: conheça a forrageira alternativa na alimentação dos animais

Você conhece o Botão de Ouro? Então saiba mais sobre o uso desta forrageira como alternativa na alimentação de vacas leiteiras.

Uma das limitações para a produção de bovinos é a disponibilidade de alimentos baratos e de qualidade, especialmente em períodos de seca ou estiagem. A cotação em dólar, o baixo estoque mundial e o alto preço dos ingredientes da ração impactam diretamente na produção de fontes proteicas de origem animal, como carne e leite, utilizadas na alimentação humana. A alimentação animal corresponde a 60 a 80% do custo operacional total da produção do leite.

Como alternativa para suprir o déficit forrageiro das pastagens, a ensilagem de milho é o método mais utilizado no Brasil. Entretanto, apenas a silagem não é capaz de atender as exigências nutricionais da vaca. Assim, torna-se necessária a suplementação com concentrados à base de milho e soja, alimentos de preços elevados e também utilizados por humanos, monogástricos e para produção de biocombustíveis.

A utilização de volumosos suplementares de elevados teores proteicos (arbustivas ou arbóreas, leguminosas ou não) pode ser uma opção capaz de reduzir a necessidade de concentrado e os custos com a alimentação. Este artigo tem como objetivo apresentar ao produtor rural a planta “Botão de Ouro” (Tithonia diversifolia) como alternativa forrageira para nutrição de vacas de leite. Para tal seguem informações baseadas em estudos conduzidos na UFSJ e em outras instituições (IFET – Barbacena; CIPAV – Colombia; Fundaccion Produce – México), as quais podem esclarecer o leitor quanto à forma de plantio, colheita e, formas de uso em dietas para vacas em lactação.

CARACTERÍSTICAS

  • Família da Asteraceae;
  • Planta herbácea-arbustiva;
  • Elevada produção de biomassa;
  • Atingir de 1,5 a 4m de altura;
  • Flor amarela, com forte odor de mel Muito ramificada;
  • Multifunções.

Origem e distribuição geográfica

  • América Central;
  • Amplamente difundida na região tropical do mundo;
  • Presente em diferentes continentes;
  • Características agronômicas

Exigência a clima e solos

  • Altitude: desde o nível do mar até 2.500 metros;
  • Chuva: 800 a 5.000 mm;
  • Temperaturas: 20e 27º C.

Cresce em diversos tipos de solo

  • Ácidos;
  • Saturação mediana de alumínio;
  • Baixo conteúdo de fósforo.

Preparo do solo

Por meio de aração profunda e gradagem. Dependendo das condições de compactação a aração pode ser seguida por subsolagem.

Plantio

  • Estacas de 30 a 50 cm de comprimento;
  • Colhidas no terço médio da planta;
  • O plantio em sulcos, profundidades de 25 a 30 cm, em fileiras duplas;
  • Cobertas com leve camada de solo de 5 a 10 cm Ou;
  • Via sementes (pouco utilizado no Brasil, mas com larga utilização em outros países);
  • Quebrar a dormência com água a 80ºC, por 30 segundos.

Espaçamento de plantio

  • Plantio solteiro (monocultura) 1x1mou0,75×0,75m;
  • Consorciado com capim 5 entre linhas e 0,25 m entre estacas.

Utilização do Botão de Ouro para bovinos, quando pastejar ou colher?

  • Estádio do emborrachamento (antes da floração);
  • Elevada produção de forragem;
  • Alto valor nutritivo.

Valor nutricional no emborrachamento

  • Produção de biomassa: 70 t ha-1 / corte Crescimento rápido;
  • Proteína bruta: 14,8 a 28,8%;
  • FDN: 47,6%;
  • FDA: 33,6%;

Balanceamento de dietas contendo Botão de Ouro

Exemplos de dietas para vacas leiteira (550 kg de P.V. e produtividades médias de 15 e 25 kg/leite/dia) com diferentes níveis de inclusão de Botão de Ouro (Tabelas 1 e 2).

botão de ouro vacas leiteiras

Observa-se que a inclusão de Botão de Ouro promoveu a redução das despesas alimentares sem alterar a oferta de proteína, energia e fibra para a produção de leite em todos os níveis de inclusão. Com a inclusão de 20% (kg de matéria natural na dieta) de Botão de Ouro em um rebanho composto por 25 vacas em lactação, produção média de 15/litros/dia, é possível inferir uma economia mensal de R$ 975,00 nas despesas com alimentação, sem afetar o desempenho animal.

Simulando-se um rebanho composto por 25 vacas em lactação, produção média de 15/litros/dia, recebendo 20% (kg de matéria natural na dieta) de Botão de Ouro é possível inferir uma economia mensal de R$ 1.275,00 nas despesas com alimentação, sem afetar o desempenho animal.

botão de ouro vacas leiteiras

OUTROS USOS DA PLANTA

  • Constituinte de rações para aves, ovinos e coelhos;
  • Substituição de 15% de MS do milho contido na dieta.

Controle de erosão

  • Sistema radicular profundo;
  • Capacidade de desenvolvimento em solos com baixos níveis de fertilidade;
  • Elevada cobertura vegetal, reduzindo os impactos da chuva e do vento sobre o solo.

Adubo verde

  • Ciclagem de nutrientes: nitrogênio (3,5% MS), fósforo (0,37% MS), potássio (4,1% MS) Absorção de fósforo, mesmo que esse esteja indisponível para outras plantas;
  • 17 t de MS de Botão de Ouro equivalem a 45 kg de fósforo.

Planta apícola

  • Inflorescência em forma de capítulos;
  • Inúmeras flores
  • Forte odor de mel
  • Atratividade das abelhas do gênero Apis mellifera, Trigona spinipese Tetragonista angustula

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Botão de Ouro apresenta potencial forrageiro na inclusão de dieta de vacas em lactação, principalmente devido ao alto teor proteico e elevada produção de biomassa, podendo reduzir o custo final.

Veja outras matérias sobre a pecuária leiteira clicando aqui.

Por: Leonardo Henrique Ferreira Calsavara (Emater-MG), Rafael Sandin Ribeiro (UFSJ) e Rogério Martins Maurício (UFSJ).

Etiquetas
Continuar lendo

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar