A maior disponibilidade de laranjas precoces da safra 2019/20 segue pressionando as cotações de todas as variedades acompanhadas pelo Cepea

Isso porque, com o estágio de maturação abaixo do demandado pelo segmento in natura, a comercialização destas frutas ainda está limitada. Na parcial da semana (segunda a quinta-feira), a média da laranja pera é de R$ 34,74/cx de 40,8 kg, na árvore, queda de 4,2% frente à semana anterior. Já a hamlin tem sido negociada a R$ 25,26/cx, baixa de 6,5% no mesmo comparativo. Os valores da tangerina poncã, por outro lado, têm reagido no mercado paulista.

Segundo colaboradores do Cepea, a oferta está reduzida neste início de mês, uma vez que a colheita da região norte de São Paulo (onde a maturação estava mais adiantada) já está se encerrando, enquanto as atividades das demais praças ainda não se iniciaram. Na parcial da semana, a variedade é negociada a R$ 29,98/cx de 27 kg, na árvore, alta de 5,5% frente ao período anterior.

Segundo pesquisas do Cepea, para a lima ácida tahiti, a diminuição das atividades de campo, em decorrência das chuvas no início da semana, refletiu em aumento dos preços da variedade. Vale lembrar que a oferta da fruta com boa qualidade já estava limitada em São Paulo. Assim, na semana, a tahiti registra média de R$ 23,02/cx de 27 kg, colhida, valor 2% superior à da passada.

Fonte: Cepea

Veja também  Citros: feriado aumenta demanda por tahiti subindo preço

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.