As condições climáticas mais favoráveis de fevereiro, que registrou chuvas mais regulares que os dois meses anteriores, levaram a AgRural a fazer um pequeno ajuste para cima na estimativa de produção de soja do Brasil na safra 2018/19

Calculada em 112,5 milhões de toneladas um mês atrás, a produção agora é estimada em 112,9 milhões de toneladas.

O número baseia-se em área de 35,9 milhões de hectares (+2,1% anuais) e em produtividade média de 52,4 sacas por hectare, contra 52,3 sacas na estimativa anterior e 56,6 sacas na safra passada, quando o país produziu recordes 119,3 milhões de toneladas.

Perdas por estiagem e calor
Inicialmente, a produção potencial do Brasil nesta safra 2018/19 era avaliada em 121,4 milhões de toneladas, mas o número sofreu cortes no início do ano devido à irregularidade das chuvas e às altas temperaturas que marcaram os meses de dezembro e janeiro e causaram estragos em lavouras que estavam em fase reprodutiva. Quase todos os estados produtores do país tiveram perdas, mas os mais prejudicados foram Paraná e Mato Grosso do Sul. 

Nesta nova estimativa, a melhora das condições climáticas em fevereiro, que favoreceu áreas mais tardias, levou a ajustes positivos na produtividade média de Goiás, Bahia, Santa Catarina e Rondônia. Paraná, São Paulo e Pará, em contrapartida, tiveram pequenos ajustes para baixo na atual revisão.

No Rio Grande do Sul, o clima vem favorecendo as lavouras de soja, mas os problemas por excesso de chuva enfrentados no início da safra dificultam o aumento da produtividade média, que foi mantida em relação ao mês passado, mas supera a da última safra.

A área cultivada com soja na safra 2018/19 estava 57% colhida no Brasil até quinta-feira (07), de acordo com levantamento da AgRural. Uma nova revisão do tamanho da produção será divulgada em meados de abril.

Por Fernando Muraro, Adriano Gomes, Alaíde Ziemmer e Daniele Siqueira/ AgRural

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.