Em setembro, o Índice FAO de Preço dos Alimentos (FFPI, na sigla em inglês) alcançou a média de 178,4 pontos (2002/2004 = 100), o que significa que apresentou ligeira alta (0,8%) em relação ao mês anterior. Comparativamente a setembro de 2016 a variação, também positiva, foi de 4,3%

Apenas óleos vegetais e lácteos contribuíram para o pequeno ajuste sobre agosto. Porque, por exemplo, os cereais enfrentaram recuo de preço de 1%, enquanto as carnes permaneceram em relativa estabiidade.

Neste caso, ficaram na marca dos 173,2 pontos, praticamente o mesmo índice registrado em agosto passado (0,01% de aumento). Mas isto só ocorreu porque houve incremento significativo no preço da carne ovina (+3,84% em um mês; + 33,33% em um ano). Ou seja: as carnes bovina e de frango permaneceram praticamente estáveis (+0,27% e -0,15%, respectivamente), enquanto a carne suína enfrentou recuo de 1,19%.

De acordo com a FAO, há, no mercado internacional, um suprimento adequado das carnes bovina e de frango, daí a estabilidade de preço observada. Já a carne suína perdeu preço em decorrência do aumento de oferta por parte do Brasil.

Fonte: Avisite

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.