Mercado Financeiro

Carne suína: excesso de oferta e interrupções comerciais pesam nos preços

Os preços internacionais de carne em maio, medidos pelo Índice de Preços da Carne da FAO, caíram 16 pontos (8,6%) em relação a janeiro de 2020

De acordo com o Relatório Semestral sobre Mercados Globais de Alimentos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, os preços internacionais de carne em maio, medidos pelo Índice de Preços da Carne da FAO, caíram 16 pontos (8,6%) em relação a janeiro de 2020, com a carne ovina registrando a queda mais acentuada (-23,5%), seguida pela carne de aves (-11,8%), carne de porco (-9,2%) e carne bovina (-4,1%).

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Desde o início do ano, as importações da China diminuíram, refletindo os altos estoques de carne armazenada que resultaram das importações feitas em preparação para as comemorações do Ano Novo Lunar, posteriormente canceladas devido à crise emergente de coronavírus , o que reduziu drasticamente o consumo de carne.

Nos principais países exportadores, os bloqueios e restrições de movimento do COVID-19 levaram à perda de vendas de serviços de alimentação e a volumes substanciais de produtos de carne não vendidos. Enquanto alguns foram desviados para as vendas no varejo, a maior parte, especialmente produtos à base de carne premium e carne em embalagens grandes, acabou em armazenamento refrigerado, onde essas instalações estavam disponíveis.

Gargalos logísticos, incluindo atrasos nos portos, redução de frete aéreo e disponibilidade de contêineres e aumento da vigilância dificultaram as vendas externas, aumentando os estoques acumulados. Enquanto isso, as dificuldades econômicas reduziram ainda mais a demanda interna de produtos à base de carne, aumentando as disponibilidades de exportação, especialmente em países onde uma grande proporção da produção de carne é consumida no mercado interno, por exemplo, no Brasil e nos Estados Unidos.

Alguns fatores específicos do setor também foram importantes na atual fraqueza global dos preços da carne. No setor de carne suína, o suprimento de suínos nos EUA, o segundo maior exportador mundial de carne de porco, aumentou em antecipação à crescente demanda da China, aumentando principalmente as disponibilidades de exportação, já que atritos comerciais e interrupções no mercado impediram uma maior expansão das exportações. Os preços no setor de aves também foram influenciados negativamente pelo fechamento de lojas de fast food e pela migração de grande número de pessoas das cidades, onde é vendida uma proporção significativa de carne de aves.

Fonte: Acrismat

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Leia também: https://agronewsbrasil.com.br/mix-de-cobertura-ajuda-a-reciclar-nutrientes-do-solo-e-diminuir-custos-na-propriedade/

ALMT - Fake News
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo