Mercado Financeiro

Carne suína: crise estimula retorno de fazendas de suíno às cidades

O país está construindo fazendas industriais de suínos perto de suas áreas urbanas, revertendo anos de políticas para realocar o gado devido a preocupações com resíduos

A China está construindo fazendas industriais de porcos perto de suas áreas urbanas, revertendo anos de políticas para realocar o gado devido a preocupações com resíduos, já que o governo prioriza a segurança alimentar do ambiente depois que a peste suína africana dizimou seus rebanhos.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

O maior consumidor de carne suína do mundo adicionará cerca de 200 milhões de suínos a seu plantel, construindo novas fazendas em todo o país para restaurar a produção após o surto de PSA iniciado em 2018. Mas novas fazendas subindo nos subúrbios das principais cidades enfrentam altos custos para evitar problemas como o escoamento de resíduos na água e no solo, o que levou o governo a realocá-los entre 2015 e 2017.

Zu Sheng, proprietário da Sifanghong Agriculture and Animal Husbandry, está construindo uma das 11 fazendas planejadas para os arredores de Pequim este ano. Localizado no distrito leste da cidade de Pinggu, a cerca de 70 km (43 milhas) fora do centro da cidade, criará 60.000 suínos por ano.

“Somos um dos principais projetos destinados a estabilizar o suprimento de carne de Pequim e proteger os meios de subsistência”, disse Zu.

A principal produtora de carne suína, New Hope Liuhe, também está planejando uma fazenda de vários andares em Pinggu, que produzirá 150.000 suínos por ano. Outras seis fazendas estão sendo reconstruídas e ampliadas, disse o governo municipal de Pequim à Reuters.

O governo chinês vê a estabilização do suprimento de carne de porco como crucial para a segurança alimentar após a alta da inflação em 2019 por causa dos custos recordes da carne de porco. Para garantir um suprimento mínimo em cada região, todas as províncias e os principais municípios devem agora garantir uma certa quantidade de produção de carne suína.

“É uma espécie de correção das políticas anteriores”, disse Wang Lisheng, economista da China na Nomura International, acrescentando que os formuladores de políticas haviam aprendido com a crise do ano passado que precisavam “diversificar os riscos”.

Fonte: Acrismat

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Leia também: https://agronewsbrasil.com.br/mix-de-cobertura-ajuda-a-reciclar-nutrientes-do-solo-e-diminuir-custos-na-propriedade/

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo