Na média de todos os cortes pesquisados pela Scot Consultoria, os preços ficaram praticamente estáveis, com variação negativa de 0,1% na última semana

Nos últimos trinta dias, a queda acumulada é de 1,0%.

No período, enquanto os cortes do dianteiro ficaram praticamente estáveis, com variação positiva de 0,1%, os cortes do traseiro, que apresentam maior valor agregado quando comparado ao dianteiro, tiveram desvalorização de 1,3%.

Mesmo com a queda no preço da carne, os frigoríficos vêm conseguindo manter a margem de comercialização próxima da média histórica, atualmente ela está em 19,9%. Isso porque, nos últimos trinta dias a arroba do boi gordo caiu 1,7%.

No intuito de ajustar os estoques, as indústrias vêm diminuindo o número de animais abatidos e pulando dias de abate.

Para os próximos dias, não são esperadas valorizações para o mercado com a entrada da segunda quinzena do mês, o que gera atenção aos pecuaristas, já que com a demanda enfraquecida e o menor volume de abates, tentativas de compra abaixo da referência podem ser cada vez mais comuns.

Fonte: Scot Consultoria

Veja também  IBGE: Abate de bovinos cresce 1,4% no 1º trimestre de 2018, na comparação anual

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: