Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam no campo misto nesta tarde de sexta-feira (07)

 

O mercado externo do grão se acomoda tecnicamente depois de cair forte no início da semana, mas esboçar recuperação na última sessão. O mercado acompanha o câmbio e oferta.

Por volta das 09h27 (horário de Brasília), o vencimento março/19 registrava 105,55 cents/lb com caía 40 pontos e o maio/19 perdia 30 pontos, a 108,55 cents/lb. Já o julho/19 trabalhava com recuo de 35 pontos, a 111,15 cents/lb e o setembro/19 registrava baixa de 35 pontos, cotado a 113,75 cents/lb.

O mercado do arábica oscilou negativamente na maior parte da semana de olho nas oscilações do dólar ante o real, fator que impacta as exportações. Na véspera e nesta sexta-feira, no entanto, as cotações esboçaram reação em sinal de forças depois de caírem para o patamar de US$ 1,05 por libra-peso.

“As relações cambiais, especialmente, entre o dólar americano e o real, continuam sendo a força motriz no mercado do café. A safra brasileira foi colhida, mas nem sempre está encontrando seu caminho para o mercado devido ao real em relação ao dólar”, disse o analista e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville.

Operadores externos também estão atentos com informações fundamentais. “Revisões de safras pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos têm estado no radar dos traders, com números não muito distantes do que os participantes vêm considerando há algum tempo”, disse o analista de mercado da Comexim nos EUA, Rodrigo Costa.

No Brasil, no último fechamento, o tipo 6 duro era negociado a R$ 420,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP), em Guaxupé (MG) os preços estavam cotados a R$ 428,00 a saca e em Poços de Caldas (MG) estavam valendo R$ 412,00.

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: