Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) dão sequência aos ganhos registrados na véspera nesta tarde de terça-feira (13). Com esse novo avanço, os preços externos do grão já se aproximam novamente do patamar de US$ 1,45 por libra-peso. Após seguidas quedas nos últimos dias, o mercado voltou ao território positivo ontem (12) diante de ajustes de posições por parte dos especuladores e fundos de investimento.

Além disso, compras por parte das indústrias também motivaram a valorização nas cotações. “Tivemos uma alta nesta segunda-feira, que foi até salutar, após seguidas quedas devido a um ajuste de posições por parte dos especuladores e fundos. O mercado estava sobrevendido numa posição curta e é normal esse ajuste quando vemos uma sequência muito grande de queda. Além disso, no nível abaixo de US$ 1,40/lb, a indústria enxerga uma oportunidade para comprar”, explicou ontem o analista de mercado da Origem Corretora, Anilton Machado.

Diante desse novo avanço no mercado, os vencimentos mais próximos voltaram a ficar próximos do patamar de US$ 1,45/lb. Por volta das 11h23, horário de Brasília, o vencimento março/17 anotava 143,10 cents/lb com alta de 110 pontos, o maio/17 registrava 145,65 cents/lb com 140 pontos de avanço. Já o contrato julho/17 estava sendo negociado a 147,45 cents/lb com valorização de 100 pontos e o setembro/17, mais distante, valia 149,70 cents/lb com 130 pontos positivos.

A agência de notícias Reuters informou ontem (12), com base em informações de analistas e comerciantes que, “apesar de chuvas favoráveis no período de floração, que teve início em setembro, a safra de 2017 deve cair entre 5 e 20% ante a safra deste ano, devido ao ciclo bienal natural das árvores, que alternam entre grandes e pequenas safras”.

Veja também  Café: Cotações do arábica operam com leve alta nesta manhã de 6ª feira na Bolsa de NY

Para Machado, os números são salutares e dentro do pensamento de mercado. “Se pegarmos uma média, teremos, segundo a pesquisa, uma safra de 47 milhões a 48 milhões de sacas, esse é um número muito apertado para atender a nossa demanda”, explica.

No mercado físico brasileiro, os negócios com café seguem isolados nas principais praças de comercialização do Brasil. Por volta das 08h29, o tipo 6 duro estava sendo negociado a R$ 520,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP) – estável, na cidade de Guaxupé (MG) o café estava cotado a R$ 506,00 a saca – estável. Já em Poços de Caldas (MG) estava sendo negociado a R$ 520,00 a saca – estável.

Fonte: Notícias Agrícolas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: