O País abateu 10,72 milhões de cabeças de suínos no primeiro trimestre, um aumento de 2,3% na comparação com igual período de 2017, o equivalente a 236,44 mil cabeças de suínos a mais, segundo a Pesquisa Trimestral do Abate de Animais divulgada nesta quinta-feira, 14, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

 

O resultado representa o melhor desempenho para primeiros trimestres desde o início da série histórica, em 1997. Na comparação com o quarto trimestre de 2017, porém, houve recuo de 3,1% no abate de suínos.

Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o abate cresceu em 14 das 25 Unidades da Federação participantes da pesquisa. Os destaques foram Paraná (+91,92 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (+81,51 mil cabeças), São Paulo (+54,29 mil cabeças), Minas Gerais (+27,73 mil cabeças), Santa Catarina (+11,67 mil cabeças) e Rio Grande do Sul (+309 cabeças). Na direção oposta, houve reduções em Mato Grosso (-23,68 mil cabeças) e Goiás (-23,61 mil cabeças).

Santa Catarina manteve a liderança do abate de suínos, com 26,3% de participação no total nacional, seguido por Paraná (21,2%) e Rio Grande do Sul (18,9%).

O IBGE divulgou no mês passado uma prévia do abate de animais do País. O levantamento divulgado nesta quinta-feira traz os dados definitivos da pesquisa para o período de referência.

 

Veja também  Agronegócio sustenta PIB Brasileiro, mas setor gera menos postos de trabalho

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: