O presidente Jair Bolsonaro teria determinado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, a volta da tarifa antidump da União Europeia e da Nova Zelândia, segundo publicado no Radar Online da Veja.

A medida é gerada pela reação do setor agropecuário, aos principais apoiadores do presidente. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, iniciou uma discussão e saiu vitoriosa nessa disputa.

Como já havíamos publicado no AGRONEWS BRASIL, todos nós estamos aguardando ansiosamente o retorno do Presidente. Diversas notificações foram feitas as assessorias de imprensa das pastas e até mesmo a assessoria direta do presidente, esperamos que nossas solicitações tenham contribuído para o retrocesso da decisão.

A falha de comunicação entre as pastas da Agricultura e Economia, trouxe insegurança ao setor rural e ocasionou desconforto as entidades de classe, pois não saberiam a quem se reportar. Com a volta do presidente Bolsonaro, a confiança pode ser restabelecida, ainda mais depois deste anúncio de voltar atrás na decisão antidumping.

A decisão política já está tomada. Agora, é saber se será feito por decreto ou portaria. Na impossibilidade, será aumentada a taxa de exportação para compensar a perda. Bolsonaro passou o fim de semana a receber queixas de produtores e a tomar uma medida.

Atualização às 19h50

Por telefone, o portal AGRONEWS BRASIL entrou em contato com a assessoria de imprensa do Governo Federal e foi informado que ainda não há um pronunciamento oficial, porém a notícia está sendo avaliada pelos responsáveis e em breve teremos uma resposta oficial.

O presidente da ABRALEITE, Geraldo Borges, quando contactado por nós, informou que estava no Ministério da Agricultura para confirmar a notícia.

Veja também  Fórum Abisolo 2019 alcança meta de conciliar conhecimento e negócios

Abordado por jornalistas nesta segunda-feira, dia 11, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não quis falar sobre a possibilidade de o governo rever o fim de direito antidumping sobre o leite em pó.

Atualização 12/02 – 18h

O Governo Federal decidiu aumentar o imposto de importação de leite em pó para compensar o fim da taxa aplicada para proteger os produtores locais. Aumentar a alíquota foi a solução encontrada para o fim da medida antidumping contra o leite da União Europeia e da Nova Zelândia. Ela é aplicada quando um país vende um produto em outro mercado com valores excessivamente baixos.

O imposto deve subir de 28% para 42%, o que compensa totalmente o fim da medida antidumping. O decreto de Bolsonaro com os novos números está em elaboração no governo e deve ser publicado nesta quinta-feira.

Leia a matéria na íntegra: Bolsonaro comemora aumento do imposto para importação do Leite Europeu

Por Vicente Delgado – AGRONEWS BRASIL, com informações da Veja.

Respostas

  1. Joaquim Neto

    Que cagada, Bolsonaro é um populista mesmo, quer impedir que o povo compre leite barato pra privilegiar uma classe. Ou seja, fez a maioria se curvar a uma minoria.

    Responder

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.