A associação entre oferta limitada e escalas enxutas mantêm o mercado do boi gordo com os preços sustentados

Este é o cenário da maioria das regiões pesquisadas pela Scot Consultoria.

Com o recebimento dos salários, que ocorrerá, em sua maioria, na sexta-feira (5/4), a tendência é de que o escoamento de carne aumente, e com a programação de abate apertada, as indústrias saem às compras com mais apetite para reabastecer o estoque e conseguir atender a demanda.

As pastagens em boas condições permitem que os pecuaristas sigam ofertando de maneira compassada e vendendo aos poucos, aguardando por preços melhores.

Em São Paulo, na última terça-feira (2/4), a cotação do boi gordo ficou em R$160,50/@, a prazo, considerando o preço bruto (com Funrural e Senar).

Esta é a maior cotação para a região desde junho de 2016, porém, vale ressaltar que esta referência considera o preço nominal. Para o preço deflacionado, a arroba do boi gordo está no maior patamar desde fevereiro de 2018, em São Paulo.

Fonte: Scot Consultoria

Veja também  Café: cotações seguem com leve alta na Bolsa de Nova York nesta 3ª

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.