A presença de uma frente fria na atura do Espírito Santo e sul da Bahia associada ao corredor de umidade que se mantém sobre toda metade norte do País, deixa o tempo fechado e com possibilidade para pancadas de chuvas ao longo de toda essa segunda-feira em grande parte das regiões produtoras de Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Pará, Maranhão, Piauí e Bahia

Além disso também há previsão para pancadas de chuvas sobre a faixa norte de Minas Gerais e no Espirito Santo. Essas chuvas que vem ocorrendo desde ontem atrapalham o pleno andamento da colheita da soja e até mesmo o plantio de milho, que segue sendo semeado em algumas localidades.

Contudo essas áreas de instabilidade a partir de amanhã já começa a perder forças e com isso, a semana, que apesar de iniciar-se com tempo fechado, será marcada novamente pelo tempo favorável a realização dos trabalhos de campo, como colheita, plantio e tratos culturais. Além disso, essas chuvas que ocorreram de forma mais generalizadas, elevaram os níveis de umidade do solo, garantindo boas condições ao desenvolvimento das lavouras de 2ª safra. E a tendência é que as condições se mantenham favoráveis ao longo de todo o mês de março tanto para o desenvolvimento das lavouras, como também a realização dos trabalhos de campo, uma vez que não há previsões para invernadas e nem tão pouco, períodos longos de estiagem. Pois, estão sendo previstas mais chuvas, mesmo na forma de pancadas, sobre toda metade norte do País durante esses próximos 15 dias.

Já na outra metade do Brasil, a segunda-feira amanhece com tempo mais aberto, temperaturas em elevação, apesar das madrugadas mais frescas e com previsão para pancadas de chuvas mais generalizadas a partir do final dessa semana sobre todas as regiões produtoras da região Sul, bem como sobre o Mato Grosso do Sul e São Paulo. Assim, mesmo com um inicio de semana mais seco, a previsão é que a semana termine com tempo fechado e chuvoso em grande parte da metade sul do Brasil, possibilitando assim, uma elevação dos níveis de umidade do solo, garantindo melhores condições ao desenvolvimento das lavouras de 2ª safra, bem como às culturas do café e da cana de açúcar. Mas por outro lado, essas chuvas poderão atrapalhar os trabalhos de campo, como colheita, mas nada que venha trazer prejuízos aos produtores, pelo contrário.

Veja também  Indea capacita veterinários para emitirem certificados de vacina da Brucelose

Já na Argentina, a semana começa com a presença de uma massa de ar polar sobre grande parte das regiões produtoras, onde ocasiona temperaturas baixas sobre quase todas as principais regiões produtoras. Esse frio também pode ser observado nessa manhã de segunda-feira em todo o Uruguai e metade sul do Rio Grande do Sul. E devido a presença dessa massa de ar polar, não há previsões de chuvas ao longo de toda essa semana sobre essas localidades, somente a partir de quarta-feira é que esse sistema estará perdendo forças e com isso, a tendência é que mais no final da semana as chuvas retornem de forma mais generalizada e em bons volumes sobre todas as regiões produtoras de milho e soja da Argentina.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: