A Minasul oferece novas tecnologia aos seus cooperados, sempre com o objetivo de ajudá-los, cada vez mais, a melhorar a produção de café. Duas dessas novidades são A Agrotopus e a Estação Meteorológica Inteligente. A Agrotopus é uma ferramenta que integra todas as tecnologias da propriedade e facilita o trabalho dos produtores. Esse sistema possibilita o controle e acompanhamento de cada etapa de produção de café. A Estação Meteorológica Inteligente realiza o monitoramento climático da lavoura e também ajuda na tomada de decisões. As duas tecnologias são integradas, ou seja, fazem parte de uma mesma solução.

As novidades começam a ser implementadas no sul de Minas através da Fazenda Santana, localizada em Cristais, de propriedade do cooperado Minasul José Marcos Rafael Magalhães, também presidente da cooperativa. Para avançar na agricultura digital, a Agrotopus realizou um sobrevoo inédito para a coleta de dados.

De acordo com a Agrotopus, o aparelho usado para coletar informações é mais do que um drone: é uma aeronave que integra sensores óticos, robótica, tecnologia aeroespacial e inteligência artificial. Todas as informações são enviadas para a central de processamento e uma equipe de engenheiros agrônomos, engenheiros florestais e cartógrafos fazem a análise que servirá de base para a tomada de decisão por parte do cafeicultor, que terá mais subsídios sobre o plantio, a correção do solo, a pulverização, a irrigação e a colheita.

“A integração das informações capturadas pelas aeronaves e também por sensores instalados em outros equipamentos, como tratores, plantadeiras e colheitadeiras, é traduzida para uma linguagem fácil. Dessa forma, produtores, gerentes e técnicos das fazendas têm mais subsídios para tomar uma decisão sobre plantio, correção do solo, pulverização, irrigação e colheita”, garante Ricardo Venceslau, da Agrotopus.

A Estação Meteorológica Inteligente capta as condições climáticas da fazenda com um nível de precisão superior às previsões regionais. Ela monitora, por meio de 13 sensores, medições cruciais para o cultivo do café. Chuva, umidade, vento, irradiação ultravioleta, evaporação e outras informações são captadas e tratadas em tempo real. Essa tecnologia garante muito mais assertividade, já que reflete o microclima dos talhões da fazenda de café. Apesar da alta tecnologia, possui um custo acessível e a ideia é que um grande número de cooperados conte com essa estação meteorológica.

Veja também  Frango: Somente cortes superam embarques da carne de 2016

“Firmamos uma parceria com a Cooperativa Minasul, o que permitirá que a agricultura digital esteja disponível em rede, cobrindo milhares de propriedades de uma mesma região. Isso, ao mesmo tempo em que potencializa essa tecnologia, barateia custos e garante mais benefícios aos cooperados, seja na melhoria do manejo das lavouras, com a utilização racional de defensivos e insumos, seja no avanço das previsões de colheita”, comenta Rodrigo Koop, da Business Global, empresa que desenvolveu a Estação Meteorológica em parceria com a Agrotopus.

“Estou certo de que a agricultura digital ajudará a produção do café no sul de Minas a dar um salto tecnológico importante. O projeto terá início na Fazenda Santana, mas, certamente, irá se expandir entre os produtores da Cooperativa Minasul, que conta com mais de seis mil cooperados”, afirma José Marcos Rafael Magalhães.

Fonte: AgroLink

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: